Make your own free website on Tripod.com
 
 
 
 
  
 
 
Porque as raízes saem fora dos vasos:
Aqui vale uma comparação: Se estou dentro da estufa e estou com fome, terei que ir buscar comida na cozinha de casa, certo?.
As plantas funcionam quase que na mesma direção, pois se não damos alimento que ela gosta, ela automaticamente, fará gerar novas raízes, em varias direções, em busca de alimento e água.
Durante 2 anos, fiz uma comparação com 20 cattleyas da mesma espécie, 10 tratei normalmente com água e adubacão, as outras 10, deixei sem adubo, apenas pulverizando água 1 vez por semana.
Das 10 que tratei normalmente, todas deram belas flores, vários brotos, bulbos verdes e lisos, enquanto que as outras 10, algumas não tiveram novos brotos, varias adquiriram fungos, apenas 2 deram flores, uma flor em cada planta, enquanto que nas adubadas, a media foi de 2 flores para cada planta....
Nas plantas adubadas, todas as raízes estavam dentro do substrato, enquanto as outras plantas, tinham raízes para todo lado, com ate 30 cm de comprimento em cima do ripado.
Isto nos indica com firmeza, a comparação do inicio deste texto, que se tratar-mos as plantas como elas vivem em seu habitat, com certeza seremos retribuídos, tanto pelo porte da planta, como pelas cores de suas flores.
Neste teste, usei o mesmo ripado dentro da estufa, portanto, a mesma temperatura e condições ambientais de todas as plantas. Daí a conclusão de que, quanto menos "frescura" a gente tiver com as plantas, melhor serão os resultados. Atualmente, só uso vasos de plástico, em tamanhos proporcionais a idade de cada planta, substrato de xaxim não muito desfibrado, micro aspersão uma vez ao dia, em dias frios, o sistema é desligado.
No mesmo teste, verifiquei que as plantas molhadas em abundância, não estavam com o mesmo perfil das molhadas por aspersão, isto é, as folhas molhadas estavam melhores que as folhas secas (água direto no substrato), provando que as folhas também gostam de um adubinho....
O volume de aspersão dentro da estufa, foi com bicos de 17 litros/hora, ligado a 3 minutos por dia, por volta de 16:00 horas. (o melhor horário)
Outra observação também válida, e das plantas fixadas em arvores. O tamanho das raízes e a lentidão no crescimento da planta é estarrecedor. Em dois anos, mudas da mesma espécie e mesmo tamanho, plantadas em vasos , tiveram seu porte duplicado em relação as plantas fixadas nas arvores. Isto prova, que fora do habitat natural, forcamos a planta a viver num ambiente de precariedade alimentar.
Chegamos a conclusão de que, quanto maior as raízes, menor o porte das plantas, isto, porque, enquanto a planta perde tempo em alimentar novas raízes para buscar alimento, a parte aérea da planta fica paralisada.
Portanto, ao fixarmos plantas em arvores, primeiramente, devemos saber como vivia em seu ambiente natural (umidade, sombra, altitude, o meio vegetativo em seu redor e etc.), para mais tarde, não nos arrepender-mos de ver aquela planta feia e sofredora, implorando alimento e sem dar flores ou brotos novos. (os Dendrobiuns e Oncidiuns são mais indicados para isto)
Edison D. Werneck.